SPFW n44: O resumo da semana de moda mais importante do BR

Olá, pessoal! Eu adoro fazer esses textos de resumo... E chega ao fim mais uma SPFW - São Paulo Fashion Week, em sua 44ª edição, de v...

17 de agosto de 2011

ZARA: a crucificação


Ontem foi exibido na TV, um suposto envolvimento da marca espanhola Zara com o trabalho escravo. Rapidamento o twitter foi invadido com comentários engraçadinhos, engajadinhos e outros tantos sem noção.

Na prática e sem sensacionalismo provinciano o que ocorreu foi que a fornecedora AHA contratada pela Zara para costurar as peças, subcontratou outras empresas que empregavam essa mão-de-obra com características de escravidão.

A Zara é co-responsável pelo ocorrido e deve responder pelo caso, mas ficar sensacionalizando a notícia com fins de auto promoção também não é lá muito ético.

Acredito ainda que a AHA fazia questão de esconder da Zara que utilizava esse tipo de mão-de-obra, e outra, vocês já viram a quantidade de peças que a Zara comercializa ao redor do mundo, acham que essas 15 pessoas dariam conta, ou ainda, fariam tanta diferença assim no montante total de custos com mão-de-obra da Zara para ela querer se arriscar dessa maneira?

Acho que não.

Vamos aguardar as novas informações e os posicionamentos dos envolvidos.

Parar de comprar na Zara eh facil, quero ver eh jogar td o q tem no armario fora! <3 Zara (via @dandimoderno)

Julgar sentado no conforto do seu lar, falar em boicote, usando outras marcas que também já estiveram envolvidas em casos como esse é hipocrisia sim!

Além disso existem muitos outros profissionais de Moda que não tem seus empregos formalizados, como os assessores de imprensa, produtores, fotógrafos, vitrinistas, assistentes de estilo...

Muitas empresas também sonegam impostos, colocam laranjas para comandar os negócios...

E nós mesmos, quantos temos empregada doméstica com carteira assinada?

Pensem nisso!

4 comentários:

  1. ah, então tudo bem continuar comprando na Zara, mesmo depois da crucificação da Arezzo por usar pele? isso sim que é hipocrisia.

    ResponderExcluir
  2. Aí é que está, isso só reforça o que eu disse! Eu nunca crucifiquei a Arezzo, inclusive mandei msg para eles dizendo que lamentava a retirada dos produtos das lojas! O que mais me deixa irritado é a falta de coerencia mesmo, pq a Arezzo não pode, mas a Prada pode? A minha opinião é que todos podem, quem quiser compra, quem não quiser não compra. Se ninguém comprar eles páram de vender, mas que todos sejam livres para ter o seu próprio ponto de vista.

    ResponderExcluir
  3. "Parei de comprar Zara mimimi", que povo mentiroso, óbvio que a mão de obra que a "terceirizada da terceirizada" é ilegal e não concordamos, mas que preguiça desse papo chovinista de boicote. Compro Zara, gosto e se há problemas internos a marca que resolva ora bolas! Ou realmente vocês acham que eles simplesmente não iram fazer nada? Acorda minine!

    Muito bom o post Paulo!

    Abraços

    Rodrigo | GDG

    ResponderExcluir
  4. Esse visual do post eu usaria igualzinho, até mesmo imberbe

    ResponderExcluir

Seja bem vindo e deixe a sua opinião!

Pessoal os comentários são moderados, só aparecem após aprovação. Obrigado por participar!

Editor

Minha foto
São Paulo, Brazil
PÓS-GRADUADO EM MODA E CRIAÇÃO - Faculdade Santa Marcelina - SP personal stylist, CONSULTOR DE MODA e editor de moda