24 de maio de 2010

15 de maio de 2010

Semana Anti Racismo - 13/05

Embalado pela semana Anti Racismo, o dia 13 de maio é dia Nacional Anti Racismo, gostaria de propor um já conhecido debate, a presença de modelos negros em desfiles e passarelas. Ok, o tema poderia até se expandir para novelas, pois na recém acabada novela das 8 da Globo, embora com uma pseudo protagonista negra, os únicos negros da novela eram de sua família, ou bandidos da favela...

Nos esportes e na música os negros já são grandes ídolos, porque não expandir esse reconhecimento para outras áreas que logicamente precisam de representantes de todos os tipos, credos e cores?

Por isso, resolvi fazer uma rápida pesquisa sobre modelos negros no mundo e no Brasil, daí peguei 10 exemplos bacanas de modelos negros masculinos (com muito custo, se mulheres modelos negras já é difícil imaginem achar modelos negros masculinos), e segue a listinha...

No site Models.com eu encontrei o David Agbodji, que é considerado pelo site, o modelo #7 do Mundo, até que não está mal, se não fosse o único negro até chegar a posição #39...
David Agbodji

David Agbodji

... a posição #39 que pertence ao Nate Gill, daí sim os únicos dois representantes do TOP 50 do referido site.
Nate Gill

Nate Gill


Já em minha busca nos sites das agências de modelos nacionais, encontrei no da 40°, o modelo Alexandre Cerqueira, Bernardo Braga, Cris Lima e o Danilo Ferreira.

Alexandre Cerqueira


Bernardo Braga, Cris Lima e o Danilo Ferreira


Na Lequipe, os encontrados foram os modelos Ramirez e Edson Novak, o Edson eu já tive oportunidade de conhecer em um desfile da Casa de Criadores, muito gente fina... já na Ford Models busquei os José Roberto, e o Fábio Meirelles.

Ramirez , Edson Novak e o José Roberto

Fabio Meirelles


E finalmente buscando em agências exclusivas de modelos negros achei o André Milagres, na HDA, lá sim encontrei muitos modelos masculinos, mas todos classificados como "Modelo Comercial", modelos Fashion/Passarela só mulheres.

Agora eu gostaria de abrir espaço para discutirmos o que acontece no mundo e no Brasil... porque a situação ainda é essa depois de tantos avanços contra o Racismo, com tantas campanhas contra o preconceito, até mesmo as quotas em desfiles, mas os modelos negros não tem a projeção comum a qualquer modelo.

E aí o que vocês acham disso?

Abraços
Paulo Mamedes

12 de maio de 2010

Me segue

Siga o @megga no twitter que as dicas de moda masculina por lá são diárias e curtinhas!

Beijomeretweeta!

8 de maio de 2010

Passarella Death Squad

A Passarella Death Squad é uma marca inglesa recém chegada ao Brasil.


As peças tem tudo para agradar o exigente mercado masculino brasileiro interessado em moda.

As camisetas, super must have, são feitas de 50% de algodão e 50% de seda orgânica importados do Japão, e segundo a marca, é ideal para o clima brasileiro. Alguns modelos vocês podem conferir abaixo, e por módicos R$180,00 pode levar uma delas para casa.

Atualmente, para obter alguma peça ou informações adicionais é necessário entrar em contato com os representantes no Brasil, a Camila e/ou Bruno brazil@passarella.co.uk.




Espero que tenham gostado!

Abraços

Paulo Mamedes!!!
Abaixo a coleção masculina Spring Summer 2010.


Fotos: Divulgação Passarella
Montagem Exclusiva: Megafashionist

4 de maio de 2010

Pega ou não pega?

É muito recorrente nas rodinhas que discutem Moda, o assunto quase invariável é o “Será que tal proposta pega ou não pega?” Na Moda Masculina não podia ser diferente, ou melhor, é diferente sim. Essa discussão é ainda mais acalorada, com muitos argumentos contrários a tudo o que é inovador, diferente ou estranho.

Qualquer um pode perceber que a criação da moda masculina, esbarra nas limitações físicas do corpo humano e quais técnicas serão utilizadas para cobrir esse corpo. Um tronco, dois braços, duas pernas, um pescoço, etc...

Construir novas propostas sobre um corpo que não muda e que já há tempos vem sendo alvo de propostas e invenções é um trabalho que se aproxima cada vez mais do impossível.

Além disso, a cultura ocidental tende a não aceitar a confusão entre os gêneros que podem acontecer com a aceitação de algumas propostas, embora em muitas culturas, espécies e afins é o macho que se enfeita.


Algumas propostas não pegam ou dificilmente irão pegar!

Esse é um trabalho lento, difícil, mas essencial para a evolução e para a própria sobrevivência da própria Moda. O processo é o seguinte, grosso modo, uma proposta é lançada, é aceita por um grupo pequeno, é aceita por um grupo maior, “envelhece”, vira clássico ou cai em desuso, abre espaço para uma nova proposta e assim por diante! E eu sempre torço para que as propostas peguem logo, para que esse ciclo seja mais rápido!

Por isso eu luto para valorizar os criadores ousados, as pessoas inovadoras e que não tem medo de pagar o preço de ser inovador!


 
Outras já praticamente são clássicos, parece que sempre existiram!
 
Dificilmente conseguimos agradar a todos, então o mais importante é agradar a pessoa mais importante: nós mesmos. Se por um lado não podemos nos omitir perante ao novo pelo medo da reação das outras pessoas, não é por conta de textos como esse que devemos ser uma fantasia modernosa de nós mesmos.


Respeitar-se é mais importante que ser estiloso ou que ser aceito pela maioria.

Abraços,

Paulo Mamedes

Imagens: Mário Queiroz, Alexandre Herchcovitch, Reserva e Ellus.

Editor

Minha foto
São Paulo, Brazil
PÓS-GRADUADO EM MODA E CRIAÇÃO - Faculdade Santa Marcelina - SP Já realizou trabalhos como personal stylist, CONSULTOR DE MODA e colunista de moda