26 de fevereiro de 2007

Para Trabalhar

Nessa semana me solicitaram que eu fizesse as normas de apresentação pessoal aqui da empresa onde eu trabalho. Não sei por que perceberam que eu poderia fazer esse trabalho, já que eles não sabem que tenho essa vida paralela em moda. Acredito que tenha sido pela preocupação que tenho com a minha própria apresentação, e pela minha facilidade em me vestir de acordo com o ambiente onde estou mesmo não sendo a roupa que eu preferiria estar usando no momento.

Por conta disso me esmerei ao máximo para superar as expectativas depositadas em mim. Porém comecei a viver um grande dilema, mesmo entendendo que seriam as normas da empresa e não minhas, é uma norma de apresentação bem formal, compatível com a área de atuação da empresa, com certeza está alinhada com as regras ditadas pelo mercado, eu estava criando regras rígidas que eu teria que seguir posteriormente.

Acho que essa sensação é uma das piores para quem tem que fazer um trabalho desse tipo, mas como já disse é um trabalho e deve ser feito. Esse tipo de norma é uma questão muito delicada, pois mexe diretamente com a auto-estima e com o jeito que as pessoas que trabalham aqui gostam de se expressar. Sabendo disso, coloquei todo o empenho e minha experiência e por que não dizer a minha criatividade, e entreguei a norma para aprovação. Agora tenho que aguardar. Abaixo um trecho, o que se deve e do que não se deve usar:



O que usar:


Homens

Terno, camisa social e gravata
Calça social, camisa social e gravata (paletó opcional).


Mulheres

Tailleur, terninho, camisa, vestido, saia, e blusa sociais.O comprimento ideal mínimo para saias e vestidos é de três dedos acima do joelho.








Unhas bem cuidadas e cabelos alinhados.

O que não deve ser usado:

Piercings e tatuagens visíveis.Camisetas, jeans, bermudas, tênis e chinelos.


Homens

Brincos, penteados extravagantes, mechas e tintura que deixe os cabelos de cor extravagante ou muito diferente do natural.



Mulheres

Blusas, saias ou vestidos muito curtos, coloridos demais, muito decotados, extremamente justos ou transparências de qualquer tipo.

É isso,
Abraços
Paulo Mahham
paulomahham@hotmail.com

7 de fevereiro de 2007

Anorexia e bulimia

Esses assuntos ainda não acabaram e ainda darão muito pano pra manga, ou pouco né, cada vez menos, com aqueles bracinhos esqueléticos não precisam de muito pano.




Explicar claramente esse assunto requer todo o cuidado e tentar ultrapassar os limites dos bastidores poderia ser arriscado, principalmente tomar uma posição. Como bom fashionista vou apresentar as visões que tenho, porém não estou dizendo aqui que são as verdades absolutas.

O primeiro a observarmos é que o mundo da moda parou de vender roupas há muito tempo, agora vende prazer, luxo, identidade, realização de sonhos, glamour, etc...

O padrão virou exclusividade, ou seja o padrão de beleza agora é exclusivo, e se é exclusivo não é um padrão, é ser fora do padrão. Ai, que confuso. As modelos tentam seguir um padrão que só uma minoria tem condições psicológicas e fisiológicas de alcançar. E se as modelos atingirem o objetivo, que é ser modelo para as meninas ditas comuns, as coisas começam a ficar bem complicadas.

Anorexia é uma doença que resumidamente, a pessoa se enxerga mais gorda do que realmente está, ela se sente gorda mesmo não sendo.

Bulimia é quando logo após comer, a pessoa acha que comeu demais e se sente culpada pelo deslize e vomita o alimento evitando assim que o mesmo seja digerido e vire eventualmente um aumento de medidas.



A indústria, as agências, os hunters definem o padrão das modelos supermagras. Mas isso só existe porque a sociedade também compartilha da mesma opinião, acha lindo as modelos e os eventos fashion. É um círculo vicioso concordo, mas alguém vai ter que dar o primeiro passo e dificilmente será a indústria.


Dos quatro maiores centros de moda do mundo NY, Londres, Paris e Milão, somente Milão definiu padrões rígidos de controle do IMC* das modelos, que deve ser acima de 18,5, mínimo considerado saudável pelos médicos.

A situação está em um ponto em que as mulheres querem impressionar mais as amigas com a supermagreza do que seus namorados que a preferem mais curvelíneas.


A moda não é um mundo real, é por isso que somos apaixonados por ela.

Abraços


Paulo Mahham
Personal Stylist
paulomahham@hotmail.com

* Índice de Massa Corporal – proporção entre peso e altura.

6 de fevereiro de 2007

Teen Fashion o evento balada!

Dia 5 de dezembro tive a oportunidade de comparecer ao Teen Fashion, nessa edição hospedado no elegante e festeiro Terraço Daslu. Muitos stands de marcas com foco no público adolescente estavam rodeando a área comum do evento.


Jogos eletrônicos e radicalidades também estavam marcando presença... minha atenção ficou bem dividida pois eu nunca havia estado na Daslu e a minha curiosidade em conhecer os outros andares era grande. Controlando a minha curiosidade, pois não queria ser mais um gato morto por causa dela, tentei usufruir do evento.

Respondi a um grande questionário acredito que era pra descobrir o quanto a estética era importante pra mim... desde espinhas até a quantidade de camisetas/mês, ganhei um botton que está na minha mochila até hoje.

Não tive acesso a área de desfiles, ainda não estou com essa corda toda... porém acompanhei pelo telão o desfile da Barbie... que trás muito rosinha, babadinho... feminilidades infantis... para os adolescentes... (?)

Também fiquei confuso... por lá circulavam muitas mini-mulheres, com calças jeans e saltos altos...muita maquiagem e chapinhas... bem longe das propostas dos desfiles... Seria o Teen Fashion um Kids Fashion...? Os adolescentes realmente querem algo pra eles, ou eles gostam de sentir o sabor de serem quase adultos?

Eu me senti deslocado... Confesso, já que eu sou um adulto sem filhos, e há muito tempo não sou mais adolescente, quando perguntavam a minha idade recorria a uns quatro anos a menos... suportados pela minha barba bem feita... Acho que deveria existir uma faixa da vida só para os adultos sem filhos. Nem arrisco a sugerir um nome... mas acho que cairia bem.

Eu quando era adolescente já queria ser adulto, mas ninguém nunca me disse que existiam coisas específicas pra minha idade, não sei dizer o que eu escolheria naquela época.

Ainda não consegui formar uma opinião definitiva sobre o tema, o que tive ao visitar o evento foram impressões.
Válido como um passo para atingir o público infantil.
Válido como evento de moda, extremamente organizado.
Duvidoso ao atingir o público adolescente.

Bem vamos aguardar!

Abraços a todos

Paulo Mahham
Personal Stylist
paulomahham@hotmail.com

Mais informações em www.teenfashion.com.br

Editor

Minha foto
São Paulo, Brazil
PÓS-GRADUADO EM MODA E CRIAÇÃO - Faculdade Santa Marcelina - SP personal stylist, CONSULTOR DE MODA e editor de moda